Image Map

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Body Electric: Before you go





Fui embora sem me despedir do Tom naquele dia, mas ele me mandou uma mensagem confirmando que me pegaria em casa as oito. Nem lembro a ultima vez que fiquei nervosa com um encontro. Mas isso era por que não era qualquer encontro. Eu nunca fui uma fã histérica dele, mas fui viciada em tudo que ele fazia durante muito tempo. E sair pra jantar com ele com certeza foi algo que nem nos meus melhores sonhos febris eu pude imaginar.

Saí do banho e conferi pela milésima vez todas as minhas roupas. Sentei na cama e dei uma olhada geral pelo guarda roupas. Que se dane vou usar algo que usaria caso fosse sair com qualquer outro homem. Ele me deixou escolher o restaurante e nós vamos para um que frequento um lugar simples, porém elegante.

Escolho um vestido preto básico que deixava metade das coxas a mostra e uma sandália de salto simples. Liguei o secador e comecei a me arrumar. Enrolei os cabelos, pintei as unhas e passei batom da mesma cor do esmalte: um tom forte de vermelho. Era um pouco de mais para um primeiro encontro, primeiro e único, afinal ele iria embora no dia seguinte. Franzi a testa para o espelho. Eu estava tentando impressiona-lo mesmo que inconscientemente.

Dei uma ultima olhada no espelho, me senti culpada, mas resolvi que devia sim causar uma boa impressão. Por que não mexer um pouco com ele também, ele vinha fazendo isso comigo há dias com seu sotaque e sorriso tão sexys.

A campainha tocou me assustando e meu coração rapidamente acelerou. Respirei fundo, peguei a bolsa em cima da cama e fui abrir a porta.

Tom segurava um pequeno buquê de flores, tulipas alaranjadas, estava de calça social e camisa por dentro. E cheirava tão bem, fiquei tonta por alguns segundos. Ele me analisou rapidamente de cima a baixo, depois voltou a olhar para o meu rosto.

— Nossa, você é a criatura mais linda que já vi na minha vida. disse com os olhos brilhando e eu senti meu rosto queimar.

Você também esta lindo.

Tom me estendeu a mão e me levou até o carro, abriu a porta pra mim, assim que entramos ele perguntou.

Então aonde vamos?

Há um restaurante de comida italiana próximo daqui, acho que você vai gostar.
Sei que vou adorar. ele sorriu.

Quando chegamos fomos conduzidos à mesa reservada, perto da janela da sacada. O garçom o reconheceu, mas disfarçou bem a surpresa, acredito que celebridades não comem ali com frequência.

Fizemos o pedido e Tom pediu uma garrafa de vinho.

Sim, senhor. disse o garçom sorrindo nervoso.

Este lugar é muito agradável. sussurrou, apoiando-se na mesa.

Bem menos movimentado do que os restaurantes de Bel Air.

Uma mulher se aproximou da mesa, e bem educada pediu um autografo e uma foto, ele a atendeu com um sorriso satisfeito.

Tom é uma companhia maravilhosa. Não posso negar que adoro estar perto dele apenas olhando, ele é lindo por dentro e por fora.

Conversamos o tempo inteiro sobre comida, o filme, sobre futuros projetos dele e a possibilidade de ganhar o Globo de Ouro. Tom era extremamente charmoso, divertido e dizia todas as coisas certas. Era impossível resistir.

E agora o que vamos fazer? ele perguntou.

Eu trabalho aos domingos em épocas assim. E você vai pegar um avião bem cedo então.

Ele assentiu com a cabeça ainda sorrindo e me levou pra casa, desceu do carro, abriu a porta para mim e me conduziu pela escada segurando minha mão até a porta do apartamento. Nunca um homem havia sido tão cavalheiro comigo em toda minha vida.

Obrigada Tom. Eu sabia que estava com um sorriso ridículo no rosto após tanto cavalheirismo. Foi ótimo.

É cedo de mais para te convidar para um segundo encontro?

Tom... você esta voltando pra casa. Nos veremos de novo na estreia do filme...

Eu gosto de você Bobbi. ele falou me interrompendo.

Prendi a respiração involuntariamente.

Você é linda, é inteligente. Eu me sinto tão vivo perto de você, quando eu toco em você meu corpo toma um choque. ele ri.

Tom isso é loucura... sorri nervosa.

Diga que não sente o mesmo. Diga que não há uma química entre nós desde o primeiro dia.

Solto o ar e o encaro séria.

É claro que eu sinto, mas isso é normal, você é um homem atraente e nós ficamos muito próximos, nós trabalhamos juntos não podemos misturar as coisas.

Não trabalho mais com você desde essa tarde. ele riu tentando me fazer rir também, mas me mantive seria.

Quando você entrar naquele avião tudo isso vai passar. Daqui a uma semana você nem se lembrara de mim. Não vamos estragar essa conexão legal que temos.   falei.

Impossível. Eu penso em você o dia inteiro. Eu gosto de você.

Tom...

— Sim eu gosto. – ele se aproximou de mim e pude sentir novamente o perfume embriagante da pele dele. Eu quero saber se você gosta da ideia de eu gostar de você?

Eu... – pensei um pouco, mas não consegui pensar em nada o que falar para ele.

E então o silencio. Ele encarou meus lábios por alguns segundos, e antes que eu pudesse pensar se ele ia me beijar ou não, Tom segurou meu rosto com as duas mãos e me puxou pra perto, pressionou os lábios nos meus suavemente. Seus lábios eram macios, quentes, era maravilhoso. Ele se afastou um pouco e encarou meus olhos, dessa vez eu puxei seu rosto com a mão o beijando de novo. Ele pediu passagem para a língua e eu permiti. Ficamos assim por alguns segundos ate que eu o afastei.

É melhor você ir. Você precisa dormir bem, é uma viagem longa. disse soltando o rosto dele primeiro.

Tudo bem. ele disse depois de um momento de silencio e em seguida me beijou na testa, soltou meu rosto devagar encarando meus olhos. Ele parecia triste de um jeito que nunca havia visto. Adeus Bobbi. ele se virou e desceu rápido pelas escadas.

Abri a porta do apartamento apressada e a bati me encostando nela. Respirei fundo e desliei nela até parar sentada no chão. A culpa me invadiu imediatamente. O que eu fiz? Acabei de beijar o homem mais maravilhoso da terra e o mandei embora. O arrependimento toma conta de cada célula do meu corpo. Levanto do chão tropeçando no salto e jogo a bolsa no sofá da sala, abro a porta apressada e corro descendo as escadas, mas é tarde de mais ele se foi.

Entro novamente no apartamento e me atiro na cama enfiando a cara no travesseiro. “Foi melhor assim” repito para mim mesma durante o resto daquela longa noite.


Próximo capitulo: Do I Wanna Know?
Sem data de postagem.










#Compartilhe esse post:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Todos os Direitos Reservados | Alan Calvin | Adaptação completa por: Mariane Santos
back to top